Boas práticas

Indicar o assunto da aula seguinte com as referência associadas e na aula do tópico em questão realizar algo como uma revisão do assunto usando Kahoot.

Quando possível, não realizar provas nos horários das aulas e sim avaliar por listas de exercícios. Os exercícios de avaliação podem expandir o que foi apresentado em aula, ou seja, xs alunxs precisam realizar uma busca complementar na internet.

Ao fim da aula, separar um tempo para desafios sobre o assunto apresentado e quem responder, é recompensadx.

Se for uma aula que envolva codificação, construir o código com xs alunxs e não apresentar o programa finalizado.

Os prazos de entrega precisam compreender ao menos um fim de semana.

Erico Souza Teixeira, professor CESAR SCHOOL

Um ponto positivo que a passagem para o online síncrono teve foi a facilidade de convidar especialistas e estudiosos – gente de outros estados ou mesmo países – para compartilharem o conteúdo deles diretamente com os alunos. Particularmente, recebi, em minhas aulas, dois doutores, um do Rio Grande do Sul, outro de São Paulo, em uma experiência que julgo muito positiva.

Nilson, professor CESAR SCHOOL

Para o bom andamento da aula eu solicito que um dos alunos sempre se comunique comigo durante a vídeoconferência para eu me certificar que todos estão ouvindo e vendo. Para garantir a participação de todos, costumo passar exercícios para serem respondidos durante as aulas. Eu abro uma atividade no Classroom e eles têm um tempo para enviar a resolução. Após isso, algum aluno compartilha a tela com sua resposta e explica a todos da turma. Vários se manifestam para compartilhar, pois fizeram de um modo diferente. Depois eu compartilho a forma como resolvi o exercício e discutimos as possibilidades. Fica uma aula bem dinâmica e consigo fazer um bom número de estudantes participar.

Joyce Teixeira, professora CESAR SCHOOL

O uso das ferramentas digitais, como Google Classroom, Pear Deck, Mentimeter, Kialo, Quizziz e Socrative é fundamental, mas não apenas no contexto remoto, pois os benefícios destas ferramentas já eram percebidos presencialmente. Elas permitem um acompanhamento assíncrono e detalhado da situação de cada estudante e podemos trabalhar focado em melhorias e potencialização dos estudantes ao invés do modelo instrucional focado em punir os erros.

Marcello Bressan, professor CESAR SCHOOL

Eu introduzo o assunto, dou conceitos básicos e depois divido o assunto em tópicos a serem pesquisados e apresentados por cada grupo. Eles fazem a pesquisa e apresentam na própria aula. Após a apresentação, eu dou continuidade à aula, explicando melhor os tópicos e aprofundando o assunto como um todo. No início da próxima aula, eu começo com uma revisão via Kahoot.

Alguns dos conteúdos que dou têm conceitos teóricos, mas com aplicabilidade prática direta. Então apresento na teoria e depois abro o código de programação e mostro na prática como a teoria é aplicada. Sem nada muito rebuscado previamente preparado. Faço on the fly, para eles verem a construção.

Anderson , professor CESAR SCHOOL

Entender o perfil da turma. A experiência com cada período foi única e a forma de preparar as aulas mudou muito para cada grupo.

Mesclar conteúdos teóricos com momentos práticos de exercícios e discussões.

Propor atividades durante o horário da aula, utilizando as salas simultâneas, e utilizá-las como parte da avaliação.

Buscar demandas dos estudantes e adaptar os conteúdos para as necessidades do momento. (isso sempre: remotas ou presenciais, mas o cenário atual me fez, por exemplo, criar mais aulas voltadas para pesquisa online).

Helda, professora CESAR SCHOOL

No início da pandemia, com toda aquela mudança repentina, adaptação, tentamos reproduzi o mesmo cenário de sala de aula. Em parte, deu certo. No entanto vimos que precisávamos engajar ainda mais os alunos, a exposição de conteúdos se tornavam cada vez mais entediante. Então foi necessário readaptar isso, o principal ponto de mudança se deu em relação à termos mais práticas durante as aulas, o que trouxe uma maior participação dos estudantes, além de situações reais para os problemas apresentados. Em alguns momentos também utilizamos a sala de aula invertida para trazer boas discussões para a sala.

Everton, professor CESAR SCHOOL

Utilizei o Discord como fórum online, o resultado foi positivo. Porém é bom explicar aos alunos o propósito e o porquê de utlizá-los para não perder o foco da funcionalidade. Também usei o Kialo e Kahoot e foram positivas as respostas dos alunos; passar vídeos também melhora a interação com eles; convidar palestrantes é muito bem recebido pelos alunos.

Guilherme, professor CESAR SCHOOL

O período em que estamos isolados socialmente, e, por isso precisando assistir as aulas de forma remota, por mais desafiador que esteja sendo, pode ser uma oportunidade de se acolher, de se autoconhecer, e, principalmente, acolher o outro em suas várias dimensões. Exercitando da melhor forma a EMPATIA!

Ana Catarina, psicóloga CESAR SCHOOL

O que nossos professores dizem

As ferramentas são importantes, mas nada é mais efetivo do que a empatia.

Janaina Calazans

Por melhor que sejam os processos, métodos e técnicas, de nada valem se não houver uma boa integração da equipe.

Luiz Araújo

Mande seu depoimento pra gente.


Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: